News

Construção, Reforma

Saiba o que fazer para impermeabilizar corretamente um muro

A construção de uma casa exige muito mais do que a compra de materiais e a contratação de mão de obra especializada.

Existem algumas coisas que devem ser levadas em consideração nessa jornada, e a impermeabilização do muro é uma delas.

Isso porque, com o passar do tempo ou mesmo com a ação das batidas de chuva, um muro pode apresentar manchas que podem estar ligadas a infiltrações e umidade.

Esses problemas, por sua vez, podem danificar a parede de forma significativa caso não recebam cuidado e atenção especiais.

Além do mais, é comum que as pessoas invistam tempo e dinheiro na troca constante de reboco do muro, mas isso é apenas um paliativo.

É necessário realizar a impermeabilização da parede, processo que deve ser feito corretamente para que não surjam outras complicações.

Impermeabilização do alicerce

Na hora de impermeabilizar um muro, é necessário pensar, primeiramente, no seu alicerce, já que a infiltração também pode vir de baixo da terra.

Nesse caso, o processo deve ser realizado logo após o término da construção e consiste na aplicação de um produto específico.

Esse procedimento evita que a umidade da terra chegue às paredes do muro.

Além disso, aplicar um impermeabilizante no alicerce pode ser uma maneira barata e eficiente de evitar as temidas infiltrações.

Impermeabilização do muro

A segunda preocupação está relacionada com a impermeabilização das paredes do muro, as quais podem sofrer interferências externas que podem ocasionar infiltrações e umidade.

Também existem produtos específicos para isso disponíveis no mercado.

Mas a impermeabilização da parede só deve ser feita quando o morador não tem controle ou conhecimento do que ocorre do outro lado do terreno.

É o caso, por exemplo, do muro estar em contato com barrancos de terra ou voltado a um terreno vizinho.

Impermeabilização contra as batidas de chuva

Além dos processos citados anteriormente, é fundamental se preocupar com a impermeabilização do muro contra as batidas de chuva, ainda que a parede não esteja em contato com terra ou outras fontes de umidade.

Longas temporadas de chuvas podem ser muito prejudiciais às paredes, já que o reboco pode absorver a água, causando problemas como infiltração e mofo.

Uma das formas mais simples de evitar o problema de infiltração devido às batidas de chuva é colocar uma calha em cima do muro, formando um pequeno telhado sobre ele.

Assim, a água não pode se acumular e penetrar na parede.

Além do mais, recomenda-se o uso de produtos específicos para a impermeabilização da parede, que são capazes de criar uma camada que impede a penetração da água da chuva no reboco.

Eficácia das impermeabilizações

A eficácia de qualquer impermeabilização depende exclusivamente da forma como ela é feita e das condições do local.

Se realizados corretamente, os procedimentos acima podem alcançar bons resultados.

Portanto, é importante seguir as recomendações dos fabricantes dos produtos, especialmente em relação à quantidade de aplicações.

Não adianta tentar tapar o sol com a peneira, como diz o ditado.

O ideal, nos casos de problemas com infiltrações e umidade, é realizar corretamente os processos de impermeabilização, evitando, assim, futuras dores de cabeça.

Reforma

Manutenção em telhados: Saiba como evitar umidade dentro de casa

O telhado é parte fundamental de uma casa. Não é por acaso que é necessário contratar especialmente uma equipe ou um profissional telhadista para fazer o projeto e acabamento seguro.

Mas, o passar dos anos pode trazer imprevistos. Rachaduras e deslocamento de telhas pelo vento são alguns exemplos.

Por isso é importante entender de manutenção em telhados.

Vamos aqui mostrar os 5 problemas mais comuns que costumam provocar umidade vinda do telhado para a casa e mostrar a respectiva solução para cada um deles.

1 – Rachadura nas telhas

Começa a chover e as goteiras surgem por todo canto.

Quem já passou por essa situação e precisou espalhar baldes pela casa sabe como é desagradável e um dos motivos para o problema pode estar em telhas rachadas ou quebradas.

Isso acontece porque é preciso prestar muita atenção na qualidade do material.

O telhado é uma das partes da casa que mais sofre a ação do tempo, da água e do calor, que provoca um efeito de aquecimento e resfriamento que acaba por causar danos nas telhas, especialmente às de qualidade inferior.

Com o tempo seco suba no telhado e procure se posicionar de maneira segura entre a laje e o madeiramento que suporta as telhas.

Com o auxílio de uma lanterna ficará mais fácil identificar peças que precisarão ser substituídas.

2 – Deslocamento de telhas

Um problema parecido com o anterior, com a diferença de que foi provocado por um serviço mal executado no momento do encaixe das telhas.

Ao verificar irá notar brechas por onde a água está se infiltrando.

O mais seguro é contratar um profissional que possa reposicionar as telhas.

3 – Calhas entupidas

É importante fazer a limpeza de toda a extensão das calhas e ter um cuidado especial na saída delas.

O entupimento faz com que a água transborde e também retorne ao telhado.

Pode causar umidade nas paredes internas logo abaixo.

4 – Falha no posicionamento do madeiramento

O madeiramento de suporte das telhas tem que ser feito por quem entende, porque é uma estrutura que além de suportar toda a cobertura, quando mal feita também traz problemas de infiltração na casa.

Para ter certeza ao subir no telhado repare se está envergado, ou seja, se está torto ou se apresenta algum curvamento.

Se a resposta for sim, então as soluções podem ser duas: refazer ou trocar o madeiramento.

Vai depender do grau do deslocamento das madeiras, se estiverem muito tortas, já sem condições de serem reaproveitadas deverão ser substituídas por madeiras novas.

5 – Ataque de cupins no madeiramento

Da mesma maneira que a falha no posicionamento do madeiramento pode prejudicar, os cupins também causam problemas ao tornar a estrutura de suporte das telhas vulnerável.

Se notar acúmulo de porções de pó, semelhante a pó de café, esteja certo que se trata desses insetos.

Nesse caso, contratar um serviço de dedetização é o mais adequado para que o produto de eliminação dos cupins seja aplicado corretamente.

Vale também consultar um telhadista para avaliar a extensão do dano, e se somente a eliminação dos cupins é suficiente para resolver.

Engenharia

Escoras de madeira ou metálicas? Qual a diferença e quando utilizá-las

No ramo da construção civil, uma das coisas mais importantes e que deve sempre ser levada em consideração é a segurança, seja dos trabalhadores ou da edificação que está sendo erguida.

Nesse sentido, existem as escoras que funcionam como uma estrutura provisória e podem suportar grandes pesos.

Em outras palavras, elas são capazes de apoiar uma construção quando essa ainda não possui firmeza suficiente para se manter em pé.

As escoras de madeira e as escoras metálicas são as mais utilizadas.

A principal diferença entre elas está, é claro, no material.

Mas existem, ainda, outras características que colocam a primeira como melhor opção a ser empregada em obras e construções.

Eficiência e tempo de execução

As escoras metálicas podem ser até oito vezes mais eficientes do que as de madeira e o tempo de execução da obra pode ser até cinco vezes menor.

A escora de madeira, por sua vez, tem baixa durabilidade e produtividade tanto na montagem quanto na desmontagem e sua execução é mais demorada.

Resistência

Além disso, a estrutura da escora metálica é mais resistente em relação à escora de madeira, que possui pouca resistência em ligações e emendas e é facilmente deformada quando submetida a mudanças bruscas e variadas de temperatura e umidade.

Segurança

O uso da estaca metálica contribui tanto para deixar a obra mais organizada e limpa quanto para a diminuição dos riscos de acidentes.

Além do mais, elas são produzidas conforme as normas de segurança, enquanto a estaca de madeira, muitas vezes, é fabricada com material sem certificação.

Produtividade

As escoras metálicas podem ser facilmente manuseadas.

Elas também são facilmente reutilizadas quantas vezes forem necessárias, não exigem mão de obra especializada, podem ser usadas tanto em obras grandes quanto pequenas e seu armazenamento é bem mais simples em relação às escoras de madeira.

Por outro lado, o equipamento de madeira é leve, pode ser facilmente transportado e pode, inclusive, ser mais barato.

Sustentabilidade

Entretanto, há um ponto positivo das escoras metálicas que pode ser colocado como o mais importante: a sustentabilidade.

Isso porque esse tipo de material é fabricado de forma segura e ecologicamente correta, com o descarte adequado dos resíduos, e pode ser reciclado no fim de sua vida útil.

Já a estaca de madeira gera uma grande quantidade de resíduos em sua confecção, o que a torna uma inimiga da natureza.

Quando utilizar cada uma delas

Além de conhecer as principais características de cada tipo de escora, é muito importante saber quando utilizar cada uma.

Para isso, alguns itens devem ser levados em consideração, como a localização e o tipo de estrutura que se deseja erguer, as condições do solo, a durabilidade em longo prazo (já que as escoras de madeira podem sofrer danos causados pelas condições de desgaste natural ou de mau tempo) e os custos totais para o cliente.

Conclusão

O tipo de escora que será utilizado na construção pode ser fundamental para o sucesso da obra e para a segurança de todas as pessoas envolvidas.

Por isso, antes de decidir pelas escoras metálicas ou de madeira, analise o seu projeto e as condições do local em que ele será executado.